• A Única com 7 Piscinas

    • Home
    • News
    • Single News

Blog

Screen Shot 2017-10-13 at 09.22.42-min

A Importância da Primeira Infância

A nossas vidas já começam cheias de momentos emocionantes. O crescimento na barriga da mãe, os primeiros passos, as primeiras palavras, a relação de confiança entre os bebês e os pais.

No mundo desconhecido, tudo é novidade para o bebê: o som, cor, cheiro, sabor, e por aí vai. Seus olhos e ouvidos observam tudo ao seu redor. A criança quer tocar, sentir, observar, e explorar o ambiente e cada detalhe desperta mais curiosidade. Essa é a etapa da primeira infância, fase de pura descoberta e aprendizado.

A Primeira Infância

A Primeira Infância, que é a fase que vai da gestação aos 6 anos de idade, é muito rica em descobertas e experiências, mas traz também dúvidas e inseguranças para todos que convivem com a criança

Durante a primeira infância, a criança passa por grandes processos de desenvolvimento, influenciados pela realidade me que está inserida. Alguns desses processos são: o crescimento físico, o amadurecimento do cérebro, a aquisição de movimentos, o desenvolvimento da capacidade de aprendizado e a iniciação social e afetiva.

Diversos estudos apontam que, quando as condições para o desenvolvimento da criança na primeira infância são boas, maiores as chances de essa criança alcançar seu potencial, tornando-se no futuro um adulto mais equilibrado, produtivo e realizado.

Importância

De acordo com pesquisadores, as funções cerebrais responsáveis por habilidades necessárias na vida, são desenvolvidas durante a primeira infância. É na primeira infância que os fundamentos das funções executiva são processadas  são “esculpidos e consolidados em função das experiências da criança”.

Para que o potencial genético possa se desenvolver, os pesquisadores apontam como necessárias interações sociais saudáveis.

“A criança tem uma característica de querer se vincular às pessoas que estão próximas e que cuidam dela. Os adultos, por sua vez, devem responder a essas expressões da criança, a essa necessidade de cuidado, de carinho, de acolhimento. Quando isso não acontece, muitos estudos mostram que há um prejuízo no desenvolvimento posterior. Cognitivo, emocional, físico até,” afirma Beatriz Abuchaim, pesquisadora da Fundação Carlos Chagas (FCC), de São Paulo.

A Natação

A natação é a única atividade recomendada enquanto a criança ainda é um bebê. Aliás, a água já é bastante conhecida pelos pequenos muito antes do nascimento, afinal, foram cerca de nove meses em contato com o meio aquático na barriga da mãe.

O movimento, durante os primeiros anos de vida, é essencial para que o bebê e a criança coletem informações, pois ao repetir as experiências de movimento são criadas vias neurais que formam redes mais complexas que dirigem o seu desenvolvimento superior.

Ao longo do seu crescimento, passando pela 1ª infância e 2ª infância com o amadurecimento do sistema nervoso, a criança vai dominando melhor o seu corpo no espaço, no tempo e refinando a sua coordenação motora, equilíbrio, postura e outras aptidões físicas.

Metodologia

A Amaral desenvolveu uma linha pedagógica própria e é pioneira neste tipo de atividade no Paraná, tendo iniciado suas atividades com bebês em outubro de 1980 e hoje é uma das referências nacionais no segmento.

Benefícios

Ao longo dos mais de 30 anos experiência com bebês, observamos um ganho considerável no desenvolvimento físico e fisiológico, bem como no desenvolvimento mental e da inteligência das crianças. Elas inclusive, têm um sono mais tranqüilo e recuperador, um melhor apetite e as que são ansiosas e inquietas, tornam-se mais tranqüilas.

Além de contribuir na coordenação motora, aumenta a capacidade cardiorrespiratória, desenvolve noções de tempo e espaço, além de ajudar a prevenir o pequeno de doenças respiratórias.

A natação fortalece desde a musculatura torácica até o diafragma, o que torna a troca de oxigênio mais fácil e natural. É comum, por exemplo, crianças com bronquite apresentarem uma melhora no problema depois do início da natação.

Mas os benefícios se estendem ainda para o emocional da criança, trabalhando sua confiança. Enquanto está em contato direto com água e seu acompanhante, podendo ser o pai ou a mãe, o momento é de conforto, o que estimula a afetividade.

facebooktwittergoogle_plusmailby feather

Deixar um comentário: