Travessias: Como se preparar e vencer desafios em mar aberto

Preparação física, técnica apurada e muita disposição são características essências para quem deseja aproveitar competições ou nadar distâncias mais longas no mar, rio, lagoa. Mas fica o conselho: o desafio vale – e muito – a pena

Motivação. Já parou para pensar o significado real dessa palavra?

Motivação, nada mais é, que o seu impulso (desejo) interno o levando a agir (a tomar uma atitude, a se sobressair sobre sua própria condição). Quem faz natação sabe disso. Constantemente novos desafios são criados, mesmo que inconscientemente: nadar mais metros, aguentar mais a respiração debaixo d’água, nadar na piscina maior, fazer aqueles movimentos perfeitos e por aí vai.

Cada conquista, uma alegria. Pensando nisso, que tal quebrar mais uma barreira e começar a participar de travessias? Além de aproveitar o local da prova, a sensação de “explorar” as novas águas é fantástica. É o que garante – e recomenda – o professor e coordenador geral da Escola Amaral Natação, Luiz Fernando Pfaff.

Há competições que são até três lugares diferentes em um final de semana, como também percursos mais curtos, para os novos entusiastas. Geralmente se dividem em trajetos de aproximadamente 500 m, 700 m (novatos) e para os mais experientes de 1500 m ou 3000 m.

DICAS PARA NADAR MELHOR

A primeira orientação para quem quer participar de uma travessia ou fazer algum percurso no mar é cuidar do corpo. Hidratação, alimentação leve, cerca de 30 minutos antes de entrar na água e, claro, protetor solar.

Outra dica importante é conhecer a região que se vai nadar. Em travessias para competição há uma estrutura completa e sinalizada, com boias, salva vidas e profissionais de plantão. Já se você deseja aproveitar uma nova praia, rio ou lagoa é recomendado ir a pé primeiro, analisando a maré, o fluxo, barcos, jet ski, e quando entrar na água nadar sempre em linha longitudinal à orla da praia.
Visualizar, ainda, marcos, como um prédio para referência e nunca nadar sozinho entram nas dicas básicas – a presença de um salva vidas também é fundamental; pergunte sobre o local e avise que vai nadar cerca de 40 minutos, por exemplo.

Atitudes básicas, como molhar o corpo gradativamente e não ir em horário de muito sol, continuam valendo.

PREPARAÇÃO FÍSICA

Para competições, ou travessias mais compridas, vale a pena fazer uma preparação específica para o corpo. Para isso, uma escola de natação é de extrema importância.

Na Escola Amaral Natação, Pfaff explica que, principalmente nos meses mais quentes, na piscina número 7 – a Amaral é a única escola de Curitiba com sete piscinas –, voltada para o condicionamento físico, as aulas são mais intensas, com o objetivo de preparar os alunos para distâncias mais longas.

O próprio método da Amaral busca o constante aperfeiçoamento, na qual o aluno vai evoluindo de nível, passando de piscinas menores, mais rasas, a profissionais.

 

Câimbra! E agora?

Mantenha a calma, tente flutuar, lembrando que, como já foi dito, nunca nade sozinho, principalmente no mar. Peça ajuda do seu companheiro. Tente ainda boiar de costas ou apoiar com os braços para ter uma boa flutuação, controlando o corpo, e esperar a câimbra melhorar. Entretanto, remedir esta situação é o mais indicado, com uma boa alimentação e preparo físico.

Amaral WhatsApp
Enviar Mensagem para Amaral